Armazenamento de dados: conheça os principais tipos

Os dados corporativos são alguns dos bens mais valiosos que uma empresa tem. Por isso, o armazenamento de dados requer investimentos em segurança.

Os riscos de vulnerabilidades e vazamentos de dados sensíveis são cada vez maiores e mais preocupantes. E, por isso, as tecnologias para armazenamento de dados estão cada vez mais robustas e seguras

Porém, para garantir a integridade e confiabilidade dos dados, muitas empresas optam por manter a alta disponibilidade com diferentes recursos de armazenamento. 

Dessa forma, com a combinação de mais de um meio de armazenamento, dificilmente um dado é comprometido ou perdido. Por esses e outros motivos, o armazenamento é uma das formas de lidar com a segurança da informação

Confira neste artigo como funciona o armazenamento de dados e quais são as melhores opções para empresas.

 

O que é armazenamento de dados?

Embora o nome possa ser autoexplicativo, o armazenamento de dados pode ser um processo de arquivamento, compartilhamento de dados e organização de documentos.

O armazenamento de dados é feito pela área de tecnologia da informação (TI) e define qual é a melhor forma de lidar com os dados da empresa, tanto em questões de segurança quanto em como apresentar um recurso ao usuário.

A estrutura de armazenamento de dados engloba o gerenciamento de bancos de dados, as estratégias de backups e outros métodos e tecnologias de processamento de informações.

O armazenamento pode contar com recursos de softwares e hardwares, sendo a opção mais segura quando se utiliza diferentes recursos. 

 

Qual é a importância do armazenamento de dados?

O conceito de armazenamento é muito amplo e abrange diferentes motivos para investir na segurança e gerenciamento de dados.

Atualmente, o armazenamento de dados se faz importante, principalmente, para:

  • Garantir a alta disponibilidade, com processamentos mais rápidos e backups;
  • Aumentar a capacidade para processamento de dados;
  • Diminuir as vulnerabilidades, evitando, assim, possíveis vazamentos de e perdas de dados.

O grande desafio de ter uma boa infraestrutura de armazenamento é cobrir todos esses pontos, que muitas vezes são igualmente importantes para as empresas.

A alta disponibilidade se refere às técnicas e estratégias que mantêm os dados seguros e disponíveis, mesmo ao sofrer ataques ou imprevistos naturais. Isso evita a perda de dados e a queda do sistema por longos períodos.

O processamento de dados é uma necessidade crescente nas empresas. Tanto os dados corporativos quanto os dos usuários são cada vez mais volumosos e sensíveis, o que requer uma maior capacidade de processamento e gerenciamento.

E com tudo isso vem a segurança do armazenamento de dados. Além de evitar perdas por disco corrompido, é preciso se proteger contra ciberataques

 

Como ter uma boa infraestrutura de armazenamento de dados?

A melhor maneira de lidar com o armazenamento de dados é utilizando mais de um recurso. Isso porque tanto softwares e hardwares têm suas vantagens e desvantagens

O uso em conjunto garante uma cobertura mais segura e previne as vulnerabilidades.

Os pilares de uma boa infraestrutura são:

  • Capacidade;
  • Conformidade;
  • Segurança;
  • Desempenho.

A melhor forma de inserir esses recursos é com processamento em camadas, com automatizações de partes do processo. Atualmente, podemos contar com recursos físicos e de armazenamento em cloud.

 

 

Armazenamento na nuvem

O armazenamento na nuvem é totalmente online, e isso tem pontos positivos e negativos. Seu uso é mais indicado para dados compartilhados, principalmente por pessoas que não estão no mesmo ambiente geograficamente.

A nuvem também é uma boa estratégia para automatização do backup, com atualizações recorrentes pré-programadas, o que previne imprevistos e vulnerabilidades.

Porém, tudo que estiver na nuvem deve ter um segundo recurso em armazenamento em disco rígido, porque esse sistema depende da disponibilidade dos servidores de quem presta o serviço de armazenamento online.

 

Armazenamento em mídia e disco rígido

Esse tipo de armazenamento conta com diferentes tecnologias, com capacidades de processamento que podem suprir diversas necessidades.

O armazenamento em mídia é todo tipo de recurso que pode ser conectado ao hardware de forma direta, como:

  • Memória cache;
  • RAM dinâmica (DRAM) ou memória principal; 
  • Fita magnética ou disco magnético; 
  • Discos ópticos, como CDs, DVDs e discos Blu-ray; 
  • Memória flash (cartões de memória, por exemplo); 
  • HDDs externos e SSDs; 
  • Pendrives.

No caso de mídias físicas, a limitação do armazenamento se dá pela capacidade de gravação dos dados

Em um disco óptico, por exemplo, há a limitação de quantas vezes ele pode ser “riscado” com a informação. É uma limitação física do dispositivo. 

 

Tipos de acesso a armazenamento

Há três principais arquiteturas utilizadas no armazenamento e processamento de dados em empresas, mesclando diferentes recursos.

  • Network Attached Storage (NAS): sistema que conecta diferentes máquinas a um armazenamento compartilhado, como se fosse o armazenamento local da máquina. É possível definir acessos por IPs exclusivos e as máquinas compartilham os mesmos arquivos, de forma rápida e acessível, mas sem depender da internet, como a nuvem. A conexão é por meio de uma rede local (LAN) baseada em Ethernet;
  • Direct Attached Storage (DAS): são dispositivos externos ligados ao servidor. O DAS pode ser um cluster de unidades em um servidor ou um grupo de unidades que se conectam ao servidor por Small Computer System Interface (SCSI), Serial Attached SCSI (SAS), Fibre Channel (FC) ou Internet SCSI (iSCSI);
  • Storage Area Network (SAN): é o sistema exclusivo para armazenamento com storage racks, conectado à uma unidade controladora e ao servidor. Pode ser usada com HDs e switches ao servidor principal. No caso de SAN para alta disponibilidade, são usados dois switches, garantindo a redundância para a segurança do processamento.

 

Como manter a segurança da informação no armazenamento de dados?

Com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e os constantes ataques às empresas, a segurança de dados se faz cada dia mais necessária.

E com o armazenamento de dados, não pode ser diferente. Independentemente da arquitetura escolhida para o processamento de dados, os pilares da segurança da informação devem ser respeitados.

  • Confidencialidade;
  • Integridade;
  • Disponibilidade;
  • Autenticidade.

Seguindo esses preceitos é mais fácil prever vulnerabilidades e se proteger contra elas, garantindo uma boa gestão de riscos com mitigação de perdas. 

Garantir a segurança de projetos e empresas é o que nos motiva. Para saber mais sobre segurança da informação e como manter seu negócio protegido, confira o nosso artigo: Segurança da informação: como proteger seu e-commerce.

Receba novidades:







    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *