Ataque Ransomware: o que é e como se prevenir dele

 

Os ataques Ransomware têm crescido rapidamente nos últimos tempos e já é o crime cibernético com mais incidências no Brasil.

O Ransomware é hoje uma grande ameaça, principalmente para empresas. O sequestro de dados pode, além de paralisar as operações, comprometer dados sensíveis e destruir arquivos de grande importância.

Com tantos casos, cresce a preocupação de empresas em se protegerem contra esses ataques, com mais investimentos em cibersegurança e informação.

Neste artigo explicamos o que é um ataque Ransomware e como proteger os  dados da sua empresa, desde a prevenção até como agir caso seja uma vítima. 

 

O que é e como funciona um ataque Ransomware?

O ataque Ransomware acontece quando o invasor tem acesso aos seus dados e arquivos. 

É mais comum que isso atinja sistemas operacionais, afetando dispositivos que estejam trabalhando com a transferência de dados. Para isso, o hacker precisa encontrar uma vulnerabilidade na segurança

Um dos meios mais comuns é o phishing, com e-mails falsos ou sites fraudulentos que induzem o usuário a baixar o arquivo com o vírus.

Assim como em um caso de Cavalo de Troia, é o arquivo infectado que dá acesso ao sistema operacional, que pode ser um Windows, MacOS ou Linux

Após ter acesso ao sistema, o vírus instalado pode ter dois modos de operação:

  • Ransomware de bloqueio: as funções básicas do computador são afetadas;
  • Ransomware de criptografia: arquivos individuais são criptografados.

Nos casos de Ransomware de Bloqueio, você perde o acesso ao computador. A única tela ativa, geralmente, é um pedido de resgate, com instruções para o pagamento e um prazo para que ele ocorra.

Enquanto não é identificado o pagamento do resgate, a máquina fica inutilizável. Porém, forçar o desligamento da máquina não soluciona o problema, já que o sistema invasor pode corromper todos os arquivos.

O outro caso, o Ransomware de Criptografia, não bloqueia o seu acesso à máquina, mas criptografa arquivos específicos.

Dessa forma, um backup ou o acesso aos arquivos é inviabilizado. Nesse caso, o pagamento também é o pedido do hacker, que promete fornecer a senha que desbloqueia o arquivo.

Independente do funcionamento do vírus, o ataque Ransomware oferece riscos para a segurança e perdas financeiras durante o ataque.

Visando lucrar com os ataques, os hackers têm atacado empresas de médio e grande porte, que ficam reféns durante o ataque, comprometendo seu trabalho e, consequentemente, os lucros. 

 

O que fazer após um ataque Ransomware?

O hacker que estiver aplicando o ataque Ransomware vai exigir um pagamento de resgate. Porém, atender ao pedido do invasor não é a única solução para essa situação.

Se o sistema da sua empresa for atacado, o primeiro passo é notificar imediatamente a equipe responsável pela segurança, que pode ser interna ou contratada.

É essencial que você tenha o suporte de um profissional para avaliar a situação.

Com o atendimento do especialista em segurança, será possível identificar qual é o modo de operação, o que está comprometido (e o que não está) e quais são as soluções cabíveis.

As soluções mais comuns são:

  • Tentar remover o malware usando as ferramentas disponíveis;
  • Restaurar o computador com as configurações de fábrica;
  • Pagar o resgate exigido pelos criminosos.

Se o ataque Ransomware for do tipo de bloqueio da máquina, pode ser que seja possível iniciar a máquina no Modo de Segurança e então acessar o anti-vírus para eliminar o arquivo invasor.

Porém, em casos de criptografia de dados, a recuperação pode ser mais complexa.

Pode ser que o anti-vírus detecte o invasor antes de realizar a criptografia, eliminando-o e solucionando (ou ao menos diminuindo) o problema.

Mas se o seu sistema de segurança não identificar o invasor a tempo, a única forma de recuperar os dados criptografados é com o backup

Se você tiver um bom suporte de segurança, ou até mesmo um seguro para esses dados, há a possibilidade de utilizar um software que quebre a criptografia. Mas isso não é garantido e também pode acabar corrompendo os arquivos.

Em último caso, surge a possibilidade de pagar pelo resgate dos dados.

 

Devo pagar o resgate pelos dados sequestrados?

Muitas empresas acabam optando por pagar o resgate do ataque Ransomware, mas essa atitude não é encorajada pelos especialistas em cibersegurança.

Isso porque é preciso confiar no hacker, acreditando que ele vá devolver os arquivos sem danos. E infelizmente não há como ter essa garantia.

Outro ponto indicado pelos profissionais da área é que, ao realizar o pagamento, incentiva-se o crime de ataque Ransomware, tornando-o uma prática atrativa para conseguir dinheiro de pessoas e empresas.

A melhor forma de lidar com o Ransomware é a prevenção, reforçando a segurança e aplicando boas práticas de gestão de vulnerabilidades.

Porém, se mesmo assim você for vítima de uma invasão, certifique-se de ter o suporte adequado para recuperar os dados e deletar o vírus.

Se o pagamento for a única “solução”, não tente deletar o arquivo invasor antes de se certificar que o hacker cumpriu a sua parte do acordo. Ao tentar alterar qualquer coisa antes disso, os arquivos irão se perder definitivamente

Após ter de volta o controle sobre as máquinas e arquivos, certifique-se de que o arquivo invasor foi deletado e reforce imediatamente a segurança, realizando backup e trocando senhas.

 

Como evitar sofrer um ataque Ransomware?

A prevenção é, definitivamente, a melhor solução para um ataque Ransomware. E embora pareça algo complicado, é muito mais fácil e barato ter um bom sistema de segurança contra vulnerabilidades.

Os ataques Ransomware atingem pessoas em todo o mundo, mas crescem os casos de invasão a sistemas de empresas de médio e grande porte.

Isso acontece porque as falhas de segurança nestas empresas são mais comuns do que imaginamos. É por essas brechas que os hackers encontram oportunidades.

Para evitar ser uma vítima, há algumas práticas simples que podem ser adotadas no dia a dia:

  • Manutenção e atualização: certifique que os sistemas operacionais estão atualizados e com a manutenção em dia;
  • Backups: os backups podem ser feitos de forma automática, com uma regularidade pré-definida, garantindo que a versão arquivada é a mais recente possível;
  • Arquivamento em nuvem: o uso da nuvem diminui drasticamente as possibilidades de invasão às máquinas, mas também é uma boa saída para armazenamento do backup.

Outras medidas também podem ser praticadas, como a conscientização da equipe e treinamentos constantes para evitar casos de phishing

Nesses casos, ter uma equipe informada e preparada para reconhecer ameaças é essencial, não sendo restrita às equipes de TI e desenvolvimento.

Em todo caso, o mais importante é estar preparado para qualquer ameaça que possa surgir.

Garanta um bom suporte de gestão de vulnerabilidades, invista na prevenção a ataques e esteja sempre atento a situações de risco.

O sistema Insider é um dos aliados da segurança dos seus sistemas. Para se proteger ao máximo contra ataques Ransomware e outras ameaças cibernéticas, conheça os principais tipos de ataques hackers e como você pode se proteger contra eles.

Receba novidades:







    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *