Ciberataques: o guia completo para manter sua empresa protegida

No primeiro trimestre de 2021, o Brasil alcançou uma colocação que ninguém gostaria: somos líderes em ciberataques na América Latina. Apenas nos três primeiros meses do ano, mais de 3,2 bilhões de tentativas foram registradas.

A tecnologia está cada vez mais presente em nosso cotidiano. É quase impossível pensar no mundo sem a realidade virtual. Porém, com esse advento, também chegam os ciberataques.

Para os especialistas, nosso País segue despreparado nessa luta contra os crimes virtuais.

Os crimes cibernéticos podem comprometer a segurança de empresas de qualquer porte. A preocupação com a cibersegurança nos negócios é urgente. Se essa ainda não é uma preocupação da sua empresa, precisa começar agora.

Os ciberataques podem resultar no roubo de senhas, vazamento de informações confidenciais, dados bancários, entre outros danos que podem ser irreversíveis. Logo, é importante entender como manter sua empresa segura.

E é sobre isso que nós falaremos abaixo. Acompanhe conosco.

 

O que são ciberataques?

Os ciberataques são crimes cometidos no ambiente virtual. Os hackers invadem a rede dos sistemas, com finalidades maliciosas.

Após a invasão, os sistemas podem ser danificados ou totalmente deletados e destruídos, dependendo da intenção do ciberataque.

Os objetivos desses cibercrimes são variados. Podem envolver a exposição de informações confidenciais, roubo de senhas e até mesmo extorsão com a posse desses dados sensíveis.

Os ciberataques afetam a empresa em todos os aspectos, inclusive na credibilidade, com a possibilidade de quebrar a privacidade dos titulares das informações sequestradas.

Embora os danos sejam graves, esses ataques geralmente são executados de forma minuciosa e sutil, tornando-os ainda mais perigosos.  

 

Como acontecem e quais os tipos mais comuns

Para compreender como esses ciberataques podem acontecer, a primeira coisa que você precisa saber é que esses crimes podem ser desenvolvidos de diversas formas.

Listamos abaixo os tipos mais comuns de ciberataque e explicamos cada um deles:

  • Spoofing: a comunicação interna da empresa é invadida com a falsificação do IP;
  • Ataque DoS: sobrecarrega o servidor e ele se torna indisponível para os usuários enquanto o ciberataque acontece;
  • DMA: é o tipo de ciberataque responsável pelo acesso direto à memória do servidor;
  • Decoy: armazena as informações obtidas para que sejam utilizadas posteriormente com a finalidade necessária;
  • Ransomware: um dos ciberataques mais perigosos, sequestra os dados e bloqueia o servidor para que o acesso seja liberado apenas mediante pagamento;
  • Phishing: geralmente realizado via e-mail, com a exposição de dados sigilosos do usuário em um site falso;
  • Backdoor: um ciberataque completo, capaz de modificar, excluir dados e até instalar arquivos maliciosos no servidor para enviar e-mails e visualizar dados;

 

 

Qual o impacto dos ciberataques para os negócios?

Ao sofrer um ciberataque, a empresa fica vulnerável em relação à sua credibilidade no mercado além de arcar com os prejuízos financeiros

A organização fica sujeita a notificação de violações de regras, pagamento de advogados (tanto da empresa quanto de clientes lesados), multas e, é claro, posteriores investimentos assertivos em cibersegurança.

É importante destacar que as empresas como um todo devem atenção à segurança cibernética. Pequenas, médias e grandes empresas podem sofrer ciberataques e ter danos aos seus recursos. 

Portanto, é fundamental não abrir mão dos cuidados com a rede. Não vale a pena colocar em risco a reputação da empresa.

 

Como saber se estou sofrendo um ciberataque?

Os ciberataques são silenciosos. É preciso atenção para reconhecer os sinais e detectá-los antes que causem prejuízos ainda maiores à empresa.

Alguns fatores que podem identificar riscos:

  • Lentidão no equipamento: a inicialização e o processamento dos dados são lentos porque o malware instala arquivos maliciosos em segundo plano;  
  • Comportamento estranho no navegador: alterações na página inicial, extensões sem permissão e anúncios exagerados;
  • Desativação de programas de manutenção: geralmente para iniciar um ciberataque, o sistema malicioso desinstala os aplicativos que poderiam impedir seu funcionamento.

Mesmo com as nossas dicas, é preciso tomar outras medidas de segurança, porque nem todos os ataques deixam sinais, podendo ficar camuflados durante muito tempo. E ainda assim, quando detectados, podem já ter gerado prejuízos sérios. 

É sempre importante prevenir, o que nos leva ao próximo tópico.

 

Como evitar os ataques cibernéticos?

Os ciberataques são o lado ruim da tecnologia. Mas, essa mesma tecnologia vem para ajudar a proteger sua empresa contra eles e, acreditec em grande parte das vezes, é possível se precaver utilizando boas estratégias.

Conheça algumas dessas estratégias:

 

1. Oriente os colaboradores

Com o home-office, tornou-se cada vez mais clara a importância de uma política de cibersegurança voltada à orientação dos colaboradores.

É importante que os funcionários sejam treinados e orientados, para que não sejam alvos fáceis de ciberataques. Se possível, que realizem cursos de capacitação nessa área também.

Dicas simples como o cuidado com sites estranhos ou evitar o compartilhamento de mensagens com dados confidenciais via e-mail ou aplicativos de mensagens, já ajudam muito a não comprometer a segurança da empresa.

 

2. Acompanhe as licenças e atualizações dos sistemas

As licenças dos sistemas necessitam de constante atualização e esse monitoramento para garantir que tudo esteja em dia é fundamental.

Cabe também destacar que os sistemas operacionais e softwares utilizados pela empresa precisam ser originais e licenciados. Programas piratas podem ser uma vulnerabilidade para ciberataques.

Certifique-se portanto da validade correspondente aos softwares instalados e as atualizações, para garantir o aprimoramento dos sistemas de rede e o máximo de segurança contra possíveis ameaças.

 

3. Utilize o armazenamento em nuvem

O armazenamento em nuvem, também conhecido como cloud computing, é uma das recomendações mais importantes quando o assunto é segurança cibernética.

Assim, é possível armazenar, de forma on-line e com acessos limitados na empresa, todos os dados e arquivos confidenciais, fazendo com que fiquem mais seguros.

Para escolher a melhor fornecedora desse sistema para sua empresa, é preciso observar a capacitação da equipe terceirizada, se ela fornece antivírus confiáveis, backups em tempo regular, firewall, se é reconhecida no mercado e se suas políticas de segurança estão alinhadas às da possível empresa contratada.

Essa empresa será responsável pela proteção dos dados e arquivos, garantindo mais proteção às informações, mas não completamente imunes aos ciberataques.

 

4. Não exponha os dados dos clientes

A segurança de informações é algo de extrema importância no ambiente virtual. Especialmente quando envolve o armazenamento de dados como números de cartão de crédito, senhas, informações de contato, entre outras.

Por isso, é preciso se certificar de que dados sensíveis dos seus clientes não estejam facilmente dispostos em suas plataformas, a fim de que sejam alvos fáceis para ciberataques.  

Em primeiro lugar, é preciso se questionar sobre a necessidade e o risco de manter todos esses dados.  

Após a avaliação da necessidade, é preciso não guardar os dados do cliente no próprio site, solicitando sempre login e senha, se possível com a autenticação de dois fatores ou por meio de sites confiáveis, como o Google.

Essa autenticação é uma proteção extra de segurança. Além do login e senha, faz-se uso de um elemento adicional, como código via SMS ou e-mail, garantindo a veracidade do acesso.

Tome o cuidado de manter criptografadas todas as transações efetuadas em suas plataformas. A criptografia é sempre um ótimo recurso de cibersegurança e previne boa parte dos ataques cibernéticos, impedindo a interceptação de dados e fraudes.

parte dos ataques cibernéticos, impedindo a interceptação de dados e fraudes.

 

5. Proteja arquivos críticos

Para proteger arquivos críticos ou dados sensíveis, a forma mais indicada é sempre realizar um backup dessas informações em outras mídias, de preferência off-line, como HD´s externos.

Esses arquivos são alvos do ciberataque provocado por vírus conhecidos como “ransomware”, instalados nos equipamentos sem o seu conhecimento, impedindo o acesso aos arquivos da própria empresa, sendo objeto de extorsão, geralmente por altas quantias em dinheiro em troca dos dados.

Soluções como antivírus e serviços especializados de segurança digital ajudam muito a proteger esses arquivos de ciberataques.

 

6. Controle sua rede

A rede Wi-Fi da sua empresa pode ser uma vulnerabilidade quando o assunto é ciberataque. Por isso, é preciso sempre estar atento a possíveis contaminações de rede que possam ocasionar vazamento de dados.

Além do uso de senhas fortes e diferentes para cada setor, é preciso investir em um bom firewall de segurança para garantir a proteção de suas redes. 

Também é fundamental contratar uma equipe especializada regularmente para verificar as condições de rede da empresa. Pequenos deslizes podem gerar grandes prejuízos. 

 

7. Contrate serviço de detecção de DoS ou de limpeza

Uma forma de evitar ciberataques é investir em serviços de detecção de DoS ou serviço de limpeza. Com isso ocorre um alerta e automaticamente o sistema bloqueia e elimina o fluxo de solicitações suspeitas.

Esses recursos também permitem o ajuste do firewall para gerenciar as taxas de conexão e evitar o envio de pacotes suspeitos ou múltiplas tentativas que possam sobrecarregar o sistema.

O ciberataque conhecido como “ataque de negação de serviço” é um dos que podem ser evitados com a contratação desses serviços. Esse crime cibernético atua para tornar indisponíveis os recursos do sistema da empresa, ao sobrecarregar o servidor.

 

8. Invista em segurança

Como já explicamos, o investimento em segurança não pode ser negligenciado. 

Ainda que os recursos, especialmente das pequenas e médias empresas, possam ser limitados para a cibersegurança, é preciso destacar que seus dados não devem ficar desprotegidos.

A melhor forma de evitar ciberataques é adotar bons protocolos de segurança em todas as etapas

No caso de transações de pagamento, por exemplo, ainda que sejam desenvolvidas na loja física e não em um ambiente virtual , ao utilizar máquinas de cartão de crédito e débito, sua empresa pode estar sujeita a roubo e clonagem de dados, além de ataques de vírus.  

Para evitar esse transtorno, utilize provedores de serviços de pagamentos confiáveis e consultorias fornecidas por empresas especializadas que garantam a idoneidade do processo.

Verificar seu sistema de antivírus e ter certeza de que ele está dentro do período de validade e constantemente atualizado é uma dica para evitar ciberataques. 

Tenha o cuidado de deixar os dados bloqueados quando o computador não estiver em uso e faça a inspeção física dos equipamentos.

A certificação digital SSL também é um passo muito importante para a segurança dos dados da empresa e seus clientes.

Essa certificação permite a criptografia dos dados e transações, impedindo que sejam roubados em ciberataques, já que as mensagens codificadas só podem ser lidas pelo próprio sistema.

 

9. Investimento em segurança em camadas

A cibersegurança de uma empresa depende das barreiras instaladas para garantir a sua eficiência. Por isso, precisamos falar sobre a segurança em camadas, que recebe esse nome devido às quatro etapas de proteção para os processos da empresa.

Esse tipo de segurança aprimora a proteção das operações:  

  1. Intranet:a rede de uso interno da companhia;
  2. E-mail: a forma mais comum de comunicação dos usuários internos com o ambiente exterior;
  3. Endpoint: as mídias utilizadas pelos funcionários, tais como os computadores, tablets, smartphones, entre outros;
  4. Backup: recuperação de arquivos e dados da empresa, indispensáveis para garantir o mínimo de danos aos dados da empresa em caso de ciberataques.

 

10. Reforço preventivo

O reforço preventivo corresponde à adoção de boas práticas na rotina da empresa que previnem contra ciberataques ao elevar os sistemas operacionais da empresa com a quebra de padrões nocivos.

Boas políticas de cibersegurança no ambiente interno também podem ajudar. Mas, além disso, cabe destacar a importância de:  

  • Realizar backups periódicos, diários ou semanais, de acordo com o volume de dados;
  • Alterar de todas as senhas periodicamente;
  • Garantir acessos apenas com a autenticação em dois fatores, especialmente para arquivos sigilosos;
  • Criptografar todas as transmissões de arquivos sensíveis e confidenciais.

Medidas simples para evitar ciberataques são importantes para proteger sua empresa e evitar problemas. Mas, é sempre importante realizar o planejamento para investir em cibersegurança de forma assertiva.

Afinal, em tempos de pandemia, os ciberataques se tornaram muito mais frequentes, devido ao sistema de trabalho remoto, tornando as empresas cada vez mais vulneráveis.

Você conhece todos os tipos de vírus que podem infectar as redes de sua empresa? Os vírus são responsáveis por ocasionar vulnerabilidades que são a porta de entrada para os ciberataques.

O Insider é uma ferramenta segura e confiável que garante a proteção necessária aos dados da sua empresa e solução em cibersegurança na prevenção de ciberataques. Fale com um de nossos especialistas e teste gratuitamente nossa ferramenta. 

 

Receba novidades:







    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *