Cibersegurança: o que é, para que serve e como garantir

Estar presente no mundo digital é essencial, especialmente no âmbito empresarial. Mas como garantir que seu site, sistema ou app é seguro para os usuários? A cibersegurança é uma questão urgente e fundamental de ser colocada em prática. Para que você entenda tudo sobre o tema, preparamos este artigo.

A cibersegurança é comumente confundida com a segurança da informação. De fato, as duas se tratam da proteção aos dados dos usuários, mas existem algumas particularidades.

A segurança da informação é o todo. Seu objetivo é manter os dados confidenciais, cuidar de sua integridade e também disponibilidade, sejam eles escritos, verbais ou digitais.

Já a cibersegurança funciona como parte desse todo, focando apenas na proteção do mundo digital. Ela identifica onde estão os dados mais importantes, quais são eles, quão expostos estão, os riscos e como a tecnologia pode protegê-los.

Logo, a primeira tem um conceito mais amplo, enquanto a cibersegurança, que será abordada ao longo desse artigo, é mais específica.

 

O que é Cibersegurança?  

A cibersegurança é um conjunto de ações e medidas para proteger sistemas, programas, redes e equipamentos de invasões.

Dessa forma, é possível minimizar os riscos para que dados confidenciais não vazem ou sejam violados nesses ataques cibernéticos, causando prejuízos para as empresas ou pessoas físicas.

Esses ataques têm intenções diversas. Podem acessar servidores, roubar senhas e dados, fraudar transações financeiras, entre outros.

É importante lembrar que as empresas muitas vezes cuidam da segurança de seu orçamento e estrutura, mas negligenciam a cibersegurança, deixando o on-line para outro momento.

Esta atitude é extremamente perigosa, infelizmente. Devido ao grande uso e expansão da tecnologia, também aumentaram os hackers, sites maliciosos e crimes cibernéticos.

Ter uma política de cibersegurança previne tais violações, por isso é urgente que seja colocada em pauta.

 

Cibersegurança, para o que serve?

A cibersegurança atua na proteção dos sistemas e redes de uma empresa ou pessoa física. Para isso, conta com programas que auxiliam contra invasões e ataques.

Ao implementar a cibersegurança, o principal objetivo é o de reforçar os servidores e redes do empreendimento, além de garantir a proteção dos computadores e dispositivos móveis e, consequentemente, dos dados armazenados nestes locais.

A tecnologia envolvida na cibersegurança é vital já que, junto ao advento digital, vieram ataques cibernéticos cada vez mais modernos que buscam acessar dados sigilosos e apagá-los ou roubá-los, com o intuito de obter dinheiro de forma ilícita.

A cibersegurança é importante para todos os segmentos que tenham qualquer envolvimento on-linem sejam eles correspondentes às instituições financeiras, governamentais, médicas ou corporativas, que podem sofrer danos irreversíveis com esses ataques criminosos.

 

Por que investir em cibersegurança?

Investir em cibersegurança é sinônimo de usufruir dos benefícios tecnológicos para que os dados confidenciais da sua empresa não se tornem ameaçadores nas mãos de pessoas erradas.

Listamos alguns desses benefícios proporcionados pelo investimento em cibersegurança, para não ficar dúvidas, confira:

 

Evita o comprometimento dos dados

A proteção dos dados e informações é a essência da cibersegurança.

Assegurar que dados sigilosos da organização estejam protegidos, investindo em cibersegurança, significa manter a saúde e segurança da empresa, e isso é essencial para o funcionamento de qualquer setor.

Somente a compreensão da importância da proteção de dados revela a necessidade da cibersegurança, não como um gasto, mas, como um investimento fundamental, independente do tamanho da organização. 

 

Deixa as informações mais confiáveis

Outra questão importante envolvendo a cibersegurança é a confiança que ela fornece para os arquivos da empresa, já que as ferramentas usadas em sua implementação, possibilitam organizar, coletar, armazenar informações e quaisquer alterações nas mesmas.  

Assim, caso as informações sejam alteradas de forma maliciosa, essas mudanças são facilmente identificadas e podem ser corrigidas rapidamente.

 

Colabora com a área de TI

A cibersegurança reduz os riscos, fazendo com que o setor de TI passe menos tempo preocupado com possíveis invasões e possa focar em ações estratégicas mais importantes.  

 

Traz diferenciação frente ao mercado

Com tantos casos de vazamentos de informações e dados sigilosos, os clientes passam a se preocupar mais com a segurança digital e passam a buscar quem tem responsabilidade com seus dados.

Ter a garantia da cibersegurança faz então com que a empresa se destaque de forma positiva no mercado, estando sempre atualizada a realidade existente.

 

Quais tipos de ataque a cibersegurança pode resguardar

 Os crimes cibernéticos estão a cada dia mais modernos e por isso, a cibersegurança também teve que se atualizar e já resguarda a maioria desses ataques maliciosos, como por exemplo:

 

DDoS

DDoS (Distributed Denial of Service) ocorre quando um servidor mestre utiliza outros para atacar determinados sites. Quando essas invasões ocorrem os servidores são sobrecarregados e automaticamente as páginas saem do ar.

Com essa queda, os usuários não conseguem acessar aos sites, gerando prejuízos como perda de vendas e diversas insatisfações dos consumidores.

Malware

Perigosos para a cibersegurança das empresas, os malwares são os softwares maliciosos, ou popularmente conhecidos como vírus, programas espiões, entre outros. São utilizados para obter acessos não autorizados, senhas e até monitoramento dos usuários.

Backdoor

O backdoor é um tipo de cavalo de troia que fornece acesso ao sistema infectado. A partir do momento em que é instalado, torna-se possível modificar, apagar, instalar arquivos, enviar e-mail, visualizar informações e usar tranquilamente o sistema do usuário atacado.

Phishing

O phishing é uma das formas mais comuns de ataque à cibersegurança. São sites falsos que imitam grandes e-commerces para enganar os usuários. Esses ataques coletam dados sigilosos, como senhas, por meio da semelhança com os sites originais.

Spoofing

Spoofing é uma falsificação do IP (protocolo de internet). Ou seja, falsifica a comunicação entre os dispositivos fingindo ser uma fonte confiável.

Ataques internos

Os ataques internos, como o próprio nome alerta, são desenvolvidos dentro da própria organização por pessoas mal intencionadas que têm acesso aos sistemas e informações ao notarem falhas na cibersegurança.

Podem ser feitos por meios de pendrives, instalação de sistemas, uso de malwares nos computadores, entre outras diversas situações prejudiciais, caso a cibersegurança não estiver em dia.

Esses são apenas alguns dos crimes que podem deixar sua empresa vulnerável e que justificam de uma vez por todas o investimento em cibersegurança.

 

Como implementar a cibersegurança na empresa: 11 pontos a considerar

Já que compreendemos a importância da cibersegurança, fica a questão: como implementá-la de forma realmente efetiva

Acompanhe algumas dicas:

 

Ative o HTTPs em seu website

Em prol da cibersegurança, ativar o HTTPs e instalar certificados digitais SSL/TLS em seus servidores é mais uma medida fundamental

Os certificados criptografam as informações transmitidas desde o site até o servidor, protegendo informações e contribuindo para fortalecer a confiança dos negócios on-line.

A criptografia transforma os dados em códigos, auxiliando na proteção de dados armazenados no computador e também dos enviados pela internet ou redes de computadores, sendo essencial para a cibersegurança.

 

Estabeleça uma política de segurança interna

Tão importante quanto promover ações de cibersegurança é mantê-las. Para isso é preciso  ter uma política interna de segurança, definindo regras e medidas para protegerem seus dados e informações.

Regras para documentos internos, e-mail, compartilhamento de informações, armazenamento de informações pessoais entre outros, são essenciais para a cibersegurança.

 

Mantenha softwares atualizados

Sistemas desatualizados podem causar sérios danos à cibersegurança da empresa. Softwares pedem atualizações, pois precisam se modernizar de tempo em tempo.

Mesmo que as atualizações demorem, é preciso que sejam realizadas para que a cibersegurança não fique comprometida.

 

Utilize assinaturas digitais

A assinatura digital também faz parte das boas práticas da cibersegurança, já que permite que você assine documentos digitalmente e com validade jurídica.

Ao contar com uma assinatura digital, a empresa cumpre as exigências legais e oferece o mais alto nível de confiança para os clientes, já que cada usuário interno possui uma identidade única, que permite a segurança, confiança e legitimidade de informação e pode ser aplicada em diversos documentos utilizados interna e externamente.

 

Invista em uma rede VPN

As redes VPNs são itens básicos para estratégias de cibersegurança. As VPNs servem para que as empresas possam investir em tecnologias de nuvem e estratégias de trabalho com mais mobilidade, sem comprometer a segurança.

Essas redes podem ser acessadas de qualquer lugar e criptografam os dados entre o dispositivo do usuário e da página que ele acessa. Dessa forma, mesmo que o colaborador sofra um ataque, será quase impossível conseguir decifrar os dados e informações.

Porém, é importante dizer que o uso da VPN garante a segurança da rede de comunicação, porém as pontas conectadas pela VPN podem ainda estar vulneráveis, por isso é preciso atenção.

 

Tenha boas práticas para gestão de senhas

Incentivar o uso de senhas fortes, adoção de autenticação de dois fatores, gerenciadores de senhas, além de se deslogar dos computadores, e evitar deixar sites e programas abertos, principalmente quando não estiver em seu posto de trabalho são ações importantes de cibersegurança.

 

Invista em um antivírus e um firewall

Os antivírus são importantes para a cibersegurança, pois detectam os vírus e invasões, além disso, é essencial para a cibersegurança contar com um firewall. 

Mais do que identificar os vírus existentes, o firewall não permite que eles invadam o sistema graças ao filtro entre computadores e internet.

 

Faça backups

Backups são essenciais para a cibersegurança, pois deixam as informações guardadas em segurança no caso de ataques.

Com backups disponíveis, torna-se mais fácil localizar os dados perdidos rapidamente. Dessa forma, é possível ver como é válido tornar essa tarefa rotineira.

 

Utilize armazenamento em nuvem

Contar com armazenamento em nuvem também é uma boa solução de cibersegurança para guardar e proteger documentos e informações importantes.

Assim, é possível salvar e deixar os arquivos disponíveis para todos que tiverem acesso liberado, em qualquer lugar que estejam. Além de economizar espaço, a nuvem poupa os dados de ataques ao computador.

 

Tenho um plano de gestão de incidentes

Ainda que sejam tomados todos os cuidados com a cibersegurança, infelizmente, as empresas não estão imunes aos ataques virtuais.

Por isso, é preciso ter uma estratégia para que, em caso de problema, a empresa possa reagir prontamente.

 

Realize testes de segurança

Ainda que sejam aplicadas diversas proteções e ações de cibersegurança, é essencial promover testes regularmente, avaliando a capacidade de segurança da empresa.

Para realizar esses testes, é possível contratar uma empresa terceirizada, que tentará invadir os sistemas internos, testando a cibersegurança.

Além de identificar problemas de cibersegurança, os testes fornecem visões e medidas que devem ser tomadas para manter a empresa realmente protegida.

Sua empresa pode contar com o Insider para descobrir possíveis brechas na cibersegurança da sua empresa. 

O Insider conta com um scan seguro e de alta tecnologia para encontrar vulnerabilidades no código da sua aplicação, além de sugerir o que pode ser feito para melhorar a segurança digital. Não deixe de fazer o teste gratuito desse sistema.

 

Receba novidades:







    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *