O que é usabilidade e sua relação com a experiência do usuário

A interatividade humana com as máquinas alcançou resultados que há poucos anos seriam inimagináveis. E com a presença de interfaces em praticamente tudo, a usabilidade é mais importante do que nunca.

Uma das grandes questões é justamente a interface com má usabilidade. Dificilmente lembramos, ou notamos, quando um site ou aplicativo é intuitivo ou muito fácil de ser acessado.

Porém, lembramos sempre das interfaces com mais problemas de usabilidade. Lentidão para carregar, excesso de pop-ups, textos confusos e páginas que não levam a lugar nenhum são alguns exemplos clássicos de má usabilidade.

Tudo isso influencia diretamente na experiência do usuário e vai muito além dos conceitos de design e UX

Para entender a importância da usabilidade no desenvolvimento de softwares e como você pode aplicá-la aos seus projetos, apresentamos este artigo com conceitos e exemplos de usabilidade.

 

Origem e o conceito de usabilidade

O conceito de usabilidade deriva da ergonomia, que estuda a interatividade humana com objetos e situações, buscando melhorar essa interatividade para ser mais simples e intuitiva.

A ergonomia é geralmente aplicada a objetos, principalmente os de uso contínuo e repetitivos, como ferramentas de trabalho

Já a usabilidade diz respeito diretamente a interatividade humana com sistemas web, com objetivo de aumentar a performance e melhorar a experiência do usuário.

E assim como ferramentas ergonômicas seguem normas padrão para controle de qualidade, o mesmo se aplica ao desenvolvimento de software. 

Nesse caso, é seguida a norma ISO 9241–11. É possível consultar a versão mais atualizada (2021), que se mantém desde 2018, direto pelo site da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

A ISO 9241–11 define o padrão de qualidade a ser seguido desde a ergonomia de quem trabalha no desenvolvimento de software, até as questões do comportamento do sistema.

O documento inclui orientações para preenchimento de formulários, construção de menus e diálogo com o usuário. Em resumo, são orientações de usabilidade.

O objetivo dessas normas é criar padrões de qualidade que facilitam a aplicação dos conceitos de usabilidade e permitem a realização de testes.

 

Testes de usabilidade

Assim como os testes são essenciais para o desenvolvimento do sistema, testando o funcionamento do código e a segurança, a usabilidade também deve ser testada.

Para isso, existem dois principais métodos de testagem: a análise heurística e o teste de usabilidade com usuários.

Os dois testes são complementares, portanto, o mais indicado é que ambos sejam realizados. Veja como funcionam os testes:

  • Análise heurística: é a análise feita pelo especialista em usabilidade, geralmente um profissional de UI e UX. Nesse teste são observados os padrões de qualidade, além da possibilidade de encontrar erros que possam comprometer o funcionamento da interface;
  • Teste com usuários: como o nome já diz, é o teste feito por usuários, que interagem com a interface para identificar pontos fortes e fracos. O ideal é trabalhar com pessoas que correspondam ao perfil do usuário final, com coleta de feedbacks e mapeamento de comportamento do usuário durante o teste.

A realização de testes com usuários pode ser um desafio, principalmente se for um projeto com pouca verba ou uma equipe menos experiente.

Porém, é um teste indispensável. Uma alternativa aceitável é o teste com usuários fora do perfil final, podendo ser colaboradores de outras equipes. 

É importante que, nessa etapa, os testes não sejam feitos com profissionais UX ou pessoas envolvidas diretamente no projeto.

Outra alternativa, um pouco mais certeira, é a contratação de agências que definem grupos no perfil necessário e realizam os testes com essas pessoas.

Durante os testes, é importante observar alguns requisitos mínimos, que devem ser aplicados à interface.

Uma interface com boa usabilidade deve ter:

  • Arquitetura da informação bem estruturada, clara e acessível ao usuário (como o mapa do site);
  • Facilidade de navegação, com páginas otimizadas para serem carregadas mais rápido, menu intuitivo e categorização correta;
  • Simplicidade e objetividade no conteúdo, principalmente em textos instrucionais e botões.

Com esses requisitos, é mais fácil identificar se o usuário tem dificuldade em navegar no sistema, se ele consegue chegar aos objetivos com praticidade e quais são os erros mais comuns no uso da interface.

Tudo isso precisa estar sintonizado tanto com a equipe de desenvolvimento, quanto com a equipe de UX do projeto.

 

A usabilidade no desenvolvimento de software

A usabilidade e o desenvolvimento estão diretamente interligados à arquitetura de software, que define e garante a performance do sistema.

Imagine que o site está sempre muito lento, ou o aplicativo está sempre fora do ar, com páginas e links quebrados. Esses problemas afastam o usuário e criam uma opinião negativa.

Dessa forma, a arquitetura une o desenvolvimento e o design para criar um sistema que corresponda às expectativas do usuário e seja intuitivo.

O objetivo das interações deve ser claro ao usuário, mais intuitivo que instrutivo, com recursos que sanem eventuais dúvidas e permitam o usuário identificar que está no controle de suas ações.

A principal importância da usabilidade no desenvolvimento de software diz respeito à Interação Humano-Computador (IHC), que permite o aprendizado da máquina para facilitar a interação do usuário.

Com isso, é possível desenvolver sistemas interativos mais inteligentes e ágeis, o que é benéfico para o usuário enquanto permite o escalonamento do sistema. 

O objetivo principal é, portanto, um sistema com funcionamento ágil e prático, que tenha uma interface amigável, simples e intuitiva

Os dois fatores devem estar juntos, para que a falta de um não comprometa o funcionamento do outro.

Seja para sistemas mais interativos ou não, a experiência do usuário é (quase) tão importante quanto a segurança, e deve ser uma das principais prioridades no desenvolvimento de todo projeto web.

Isso significa que o desenvolvimento do projeto deve prever os principais erros dos usuários, com dados captados em testes, e também garantir que os elementos interativos irão funcionar como o usuário espera.

Os conceitos de experiência do usuário vão muito além da usabilidade no desenvolvimento e é uma área que é cada vez mais importante para a engenharia de software.

Quer saber mais sobre experiência do usuário e usabilidade? Não deixe de conferir o nosso artigo sobre design UX e experiência do usuário, um guia completo com dicas para aplicar aos seus projetos. 

Receba novidades:







    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *